Cadastre seu e-mail

sexta-feira, 15 de julho de 2011

Dialética!


Durante minha vida tive contato com todo tipo de gente, com as mais variadas idéias. Cada vez mais acredito que as coisas são cíclicas. De uns tempos pra cá tenho encontrado algumas pessoas que estavam distantes... Nenhum motivo especial para o afastamento, somente a falta de tempo e diversificação de atividades. Infelizmente nem sempre nossos caminhos seguem a mesma direção ou sentido. Mas entendo também que esses caminhos podem ser paralelos e que de acordo com o chacoalhar da carruagem acabamos nos deparando com aqueles há muito desaparecidos... Claro que eles devem pensar o mesmo de mim... ou não!

Esses encontros e desencontros nem sempre são o cúmulo da felicidade, como aconteceu comigo e uma ex-amiga – pensando nela hoje entendo que ela esteve presente em momentos importantíssimos de minha vida, momentos esses de formação de personalidade, mas que infelizmente no desfecho, ela se fazia ausente. Um exemplo disso foi quando minha mãe morreu, naquela semana estávamos assistindo palestras sobre a Teoria da Revolução Permanente na frente Trotskista (sim, até isso eu fiz!), não fui nas duas últimas palestras, por justos motivos, e só fui ver esta pessoa novamente quando ela brigou com a sua própria mãe e fugiu pra minha casa, creio que isso deve ter sido uns dois anos depois - nem preciso dizer que após ela arrumar uma casa nova pra morar , só surgiu novamente passados longos 10 anos e obviamente com algum problema insolúvel... Cansei... Vai em paz!

Outra pessoa da mesma época vai e volta e junto com ela somente coisas boas acontecem – isso me veio a mente porque acabou de cair na minha mão um artigo do Leonardo Boff (adoro o ex-frei), coisa boa sempre vem acompanhada... não vou contar hoje, todas as nossas aventuras, pois iria ser muito longo. A parte estranha disso é que parecia que eu havia adormecido, faziam anos que eu não lia nada dele e isso não pode acontecer – virei o blog do Boff no avesso, ufa continuo em sintonia. Fiquei pensando, que talvez minha preocupação com as coisas realmente importantes já tivesse sido maior. Será!?

Conhece-te a ti mesmo! E conhecer a si mesmo não é só uma questão de espelho, colocar-se em sintonia com o universo e entender que papel você tem na criação, por menor que seja, é uma das coisas mais difíceis e maravilhosas de se buscar! Tem que ter paciência, perseverança, não pode ter pré-conceito, porque os papeis são diversos e muitos deles só são compreendidos muito tempo depois.

Há anos estou na Senda, acumulei conhecimento e informação. Fiz amigos, companheiros do caminho. Sou humana, gosto e desgosto de pessoas, continuo errando e acertando em proporções diferentes, me incomodo com atitudes e acima de tudo sei que meus 50% Certos não estão de maneira alguma Errados.

................................................................ Livia Ulian