Cadastre seu e-mail

quarta-feira, 21 de agosto de 2013

Deixaram a Ágatha Triste!

Ontem a noite estava em frente a TV quando percebi que iria passar um filme chamado Identidade, eu já assisti e este não é um dos filmes que assisto repetidamente, portanto não ia ver de novo, mas a ideia geral do filme foi tirada de um livro da minha infância, um dos grandes motivos deu ser uma leitora assídua.

A long long time ago in a galaxy far away, eu li "O caso dos dez negrinhos ou Ten Little Niggers"... parando pra pensar este foi meu livro predileto da tia... Saudosa, postei no Facebook a versão brasileira do poema que é apresentado no livro.

Eu tenho um amigo do tipo mega-hiper-super antenado, se tem alguma coisa que precisa ser sabida na área do entretenimento ELE é o cara... Leandro, esse é seu nome, me perguntou se eu sabia que o livro mudou de nome... Fiquei pasma, e fui descobrir que já faz algum tempo, mas porque raios eu iria saber de uma coisa idiota como esta? Livros não mudam de nome, assim como as pessoas também não, isso é perda de identidade. Será que o roteirista sabia quando fez o filme?).

Depois do Brasil tentar (nem sei se conseguiu!), estuprar a obra de Monteiro Lobato por causa da tia Anastácia, agora descubro que meus amados Dez Negrinhos foram assassinados por algum idiota preconceituoso e recalcado. E para ajudar a anta racista (coitadas das antas) que renomeou o livro o fez assim: "E não Sobrou Nenhum", Well, Well Well, além de estragar o título da obra, ainda estraga o final do livro... O que posso dizer?

Abaixo a versão brasileira do poema que sei de cor desde os 12 anos de idade e o original em inglês:

Os Dez negrinhos

Dez negrinhos vão jantar enquanto não chove;
Um deles se engasgou e então ficaram nove.

Nove negrinhos sem dormir; não é biscoito!
Um deles cai no sono, e então ficaram oito.

Oito negrinhos vão a Devon de charrete;
Um não quis mais voltar, e então ficaram sete.

Sete negrinhos vão rachar lenha, mas eis
Que um deles se corta, e então ficaram seis.

Seis negrinhos de uma colmeia fazem brinco;
A um pica uma abelha, e então ficaram cinco.

Cinco negrinhos no forro, a tomar ares;
Um ali foi julgado, e então ficaram dois pares.

Quatro negrinhos no mar; a um tragou de vez
O arenque defumado, e então ficaram três.

Três negrinhos passeando no Zoo. E depois?
O urso abraçou um, e então ficaram dois.

Dois negrinhos brincando ao sol, sem medo algum;
Um deles se queimou, e então ficou só um.

Um negrinho aqui está a sós, apenas um.
Ele então se enforcou, e não ficou nenhum.



Ten Little Niggers

Ten little nigger boys went out to dine;
One choked his little self and then there were Nine.

Nine little nigger boys sat up very late;
One overslept himself and then there were Eight.

Eight little nigger boys travelling in Devon;
One said he'd stay there and then there were Seven.

Seven little nigger boys chopping up sticks;
One chopped himself in halves and then there were Six.

Six little nigger boys playing with a hive;
A bumble bee stung one and then there were Five.

Five little nigger boys going in for law;
One got into Chancery and then there were Four.

Four little nigger boys going out to sea;
A red herring swallowed one and then there were Three.

Three little nigger boys walking in the Zoo;
A big bear hugged one and then there were Two.

Two little nigger boys sitting in the sun;
One got frizzled up and then there was One.

One little nigger boy left all alone;
He went out and hanged himself and then there were None.

A imagem acima é como a do livro que li quando era pequena, hoje vou chegar em casa e ver se por acaso doei o livro para alguma biblioteca. Se não o fiz, vou guardar pela eternidade, como prova da estupidez humana.

................................................................ £ivia Ulian

quarta-feira, 15 de maio de 2013

Ensinamento Borg


É verdade, não existe maneira de você emitir uma opinião sem se comprometer... e eu me pergunto: Do que as pessoas tem tanto medo? De tomar uma posição ou de ser cobradas por isso? Afinal se você tem uma opinião, deixe-se conhecer... qual é o problema?

Entenda, opiniões podem mudar, nada é eterno. Quando você tem acesso a novas ideias, muitas vezes sua posição muda. Isso não é contra a lei, juro que não dói.

Inocência minha, eu assumo responsabilidades e defendo minha opinião, mudo também. Só uma coisa não muda (além de continuar torcendo pro Corinthians), não sou covarde, não traio!

Acho um saco lidar com gente falsa, então como diria minha amiga 7 de 9, "resistir é inútil". Vou me adaptar, não muito, só o suficiente...

Continuo sendo leal para com aqueles que o são comigo... Porém, NUNCA mais serei justa com quem não presta! hehehe

..................................................................................... Livia Ulian

quarta-feira, 8 de maio de 2013

Reaça!!!




Por vezes sinto vontade de chorar quando vejo o povo usando certos termos. Nesta última semana tenho ouvido muuuuuitoooo a palavra reacionário, tudo culpa do Lobo Mau, que resolveu mostrar os dentes pra chapeuzinho.


Liberte, Egalité, Fratenité, a maldita palavra reacionário foi utilizada pela primeira vez na Revolução Francesa e fazia referencia àqueles que reagiam ao governo e se opunham ao progresso, tudo em tons políticos. O tal reacionário era um sectário da reação político social, um prosélito conservador, o oposto de revolucionário. Viu que frase bonita? Traduzindo, era um baba ovo, uma vaquinha de presépio, e que muitas vezes podia se tornar a bucha do canhão, e a massa de manobra!


Caray, me parece que são os seres não pensantes de hoje, esses que ditam o que é Politicamente Correto e Aceitável... não fume, não como carne, não trepe, não viva, não pense, não, não, não,....


Queria que alguém me provasse que nosso governo é Revolucionário, porque eles estão parecendo o Segundo Estado (nobreza), que foi uma das causas da Revolução Francesa...


Opositora Sempre, Seguidora Jamais!



......................................................Livia Ulian