Cadastre seu e-mail

terça-feira, 18 de março de 2008

Toca Raul

Juro que não entendi! Vou contar e talvez alguém me explique.

Estávamos na praia neste final de ano e encontramos um quiosque que tocava rock até o último freguês... Claro que não era o quiosque e sim os músicos que tocavam!
Inacreditável, não precisaríamos ouvir axé-music e afins. Enfim ficamos felizes práca.
A banda era de Sampa e pelo que entendi costuma tocar em um bar na Madalena (se os vir novamente reconheço, mas não me perguntem o nome deles hoje!). O repertório era bem legal, todo estilo de rock e incentivavam pedidos. Em resumo os três caras faziam um som muito bom (detalhe, sem bateria).
Na hora do faça seu pedido que nós tentamos tocar, o inevitável TOCA RAUUUULLL, surgiu e durante três noites, os caras fingiam não ouvir e sempre davam um jeito de passar músicas na frente até a platéia esquecer o pedido de Raul.
Taí, eu não me conformo com essas coisas e resolvi perguntar. A oportunidade chegou quando dois deles vieram até nossa mesa: Então, porque vocês ignoram o Toca Raul? Para minha surpresa um deles me disse, corroborado pelo outro, que é um consenso e que músicos da noite não gostam de tocar Raul. Pasmei mas não desisti: Por quê? E o figura disse: Porque sim, deixa pra lá...
Até entendo ele não ter me respondido, afinal eu podia ser uma FãNática e encher o saco...

E eu fiquei sem saber... Afinal foram eles que incentivaram as pessoas a pedir músicas que queriam ouvir...

Uma certeza eu tenho – Quem conhece o Hélio e o Humberto não ficará sem resposta....

Enquanto isso... Toca Rauuuullllllll
.........................................................Livia Ulian


Sentar e Olhar o Mundo...
Nem sei quanto tempo sou capaz de fazer isso, a sensação é de Poder... Sentada aqui eu ví Posseidon sair do Mar, levantando ondas que quase me atingiam, vir em direção a praia descansar para se divertir com seus novos brinquedinhos.

E daí se a humanidade está rastejando em sua direção. Nesse momento são somente peixes saindo da água e aprendendo a respirar

segunda-feira, 17 de março de 2008

Um Ano Novo para lá das Calendas Gregas

Como tenho que começar por algum lugar, e já que vou falar de tempo, resolvi que o melhor seria começar pelo início. Mas como creio que as coisas vêem em ciclos busquei início na Roda do Ano, e o ponto para o Meu Início é Março, afinal Livia é um nome romano e o calendário da antiga Roma começava em Março.
Que o Ano comece em Ostara, Pessach, Páscoa!
Vejam bem, Ostara nas antigas culturas simboliza o renascimento, as mudanças e a passagem. Denotava também a capacidade de renascer e renovar-se periodicamente, libertar-se do que é velho e abrir-se para o novo. Na simbologia cósmica, significa o renascimento após a morte, a meu ver a carta da Morte no Tarot (só nesse ponto, Ostara/Tarot tem pano para muitas mangas).
Como a mulher trás a vida dentro de si e as sociedades antigas eram inicialmente matriarcais, a simbologia recaiu sobre deusas de fertilidade, Eostre para os celtas, Astarte (Fenícia), Kali (hindu), Hathor (egípcia), Afrodite (grega), Perséfone e por aí vai. Todas estas divindades estão relacionadas à lua nova e a nova vida, assim como a vida após a morte e ao renascimento. Veja a semelhança do nome da deusa Eostre e Easter (que significa Páscoa em inglês).
Mais recentemente, porém ainda bem antigo e sob o mesmo período, temos a libertação do povo Judeu da escravidão, a comemoração da Pessach, que em hebraico significa passagem. Esta comemoração se inicia na primeira lua cheia após o equinócio de primavera. Esse período me parece energeticamente positivo para esses re-começos, não acho que Moises pensou em Hathor e tomou a decisão de deixar o Egito e sim que esta conjunção astrológica leva a estas situações. Até aqui entendo que as civilizações antigas tinham seu ano baseado na Lua.
Já a Páscoa cristã recebeu o nome da comemoração judaica porque a Paixão de Cristo aconteceu no início do Pessach – e a Última Ceia teria sido um Seder, o tradicional jantar realizado na véspera do início da Pessach. Apesar de receberem o mesmo nome, as duas celebrações não ocorrem exatamente na mesma data, pois a Páscoa cristã é comemorada no primeiro domingo de lua cheia depois do equinócio de primavera. Novamente uma situação de libertação e/ou renascimento no mesmo período, decididamente não pode ser uma coincidência.
A mudança do calendário Juliano para o Gregoriano deu-se ao longo de três séculos e tivemos muita confusão, imaginem que o ano para os romanos começava em Março, tinham dez meses e os dias dos meses não eram numerados, como são hoje, mas sim contados em relação às calendas, nonas e idos, como pontos de referência.
Outros calendários esotéricos têm datas diferentes para o início do ano, por exemplo na Wicca o ano começa em Samhaim (isto é no Halloween) e pelo Calendário da Paz (Maia) o ano começa no dia 26 de Julho, já pelo Chinês o ano começou em 07 de Fevereiro, devem existir mais, porém isto é do que eu me lembro.
Então o bom é juntar Tudo e escolher a data do seu Ano Novo, pensando no seu signo, ascendente, crença religiosa, origem da família e qualquer outro parâmetro que lhe faça Feliz. O Meu Ano começa em Ostara, sob o signo Cardinal de Áries e sua energia iniciadora... e veja que máximo, esse é um ano de Marte.

......................................................................Livia Ulian

segunda-feira, 10 de março de 2008

Eu

Eu sou a que no mundo anda perdida,
Eu sou a que na vida não tem norte,
Sou a irmã do Sonho, e desta sorte
Sou a crucificada ... a dolorida ...

Sombra de névoa tênue e esvaecida,
E que o destino amargo, triste e forte,
Impele brutalmente para a morte!
Alma de luto sempre incompreendida!...

Sou aquela que passa e ninguém vê...
Sou a que chamam triste sem o ser...
Sou a que chora sem saber por quê...

Sou talvez a visão que alguém sonhou.
Alguém que veio ao mundo pra me ver,
E que nunca na vida me encontrou!

...........................................Florbela Espanca

domingo, 9 de março de 2008

Sir Winston Churchill

30 de Novembro 1874 a 24 de Janeiro de 1965... Sagitariano!

"A Maior lição da vida é a de que, às vezes, até os tolos têm razão"

"Estou sempre disposto a aprender, mas nem sempre gosto que me ensinem"

"Eu não sou exigente, eu me contento com o que há de melhor"

"Um apaziguador é alguém que alimenta um crocodilo esperando ser o último a ser devorado"

"Um prisioneiro de guerra é um homem que tentou matá-lo, não conseguiu e agora implora para que você não o mate"